Pequeno Médio Grande e Lição de 3 Partes

Depois de de algumas apresentações de pequeno e grande com os cubos de 1cm3 e de 10cm3 da Torre Rosa quando ele tinha sensivelmente 30 meses, iniciei a inclusão do conceito de médio também com a Torre. Tudo numa base muito simples, no meio das brincadeiras dele, enquanto transportava os blocos, os montava!

“Esse cubo é grande!!!”

“Esse cubo é pequeno!”

Com o tempo percebi que ele ia repetindo no meio das suas brincadeiras esses termos, e depois também trazia os cubos e dizia:

“Mamã, cubo grande! Cubo pequenino!” 🙂

….

O conceito de médio demorou um pouco mais a dizer, porque realmente é um termo que usamos pouco no dia-a-dia, não é? Fui colocando algumas actividades na estante com objectos em que se verificava essa relação, e e apenas fazia uma pequena apresentação enquanto ele os explorava.

Ontem decidi que era tempo de ver se o conceito já tinha pegado, e finalmente descobri também que já consigo fazer Lição de 3 Tempos com ele! Foi uma alegria! 🙂

Não consegui abdicar é desta forma que desenvolvemos de dizer as coisas juntos! Lol! Portanto, a minha Apresentação nunca é só eu a falar, só eu a transmitir conhecimento!
Ele tem de pôr o dedo e dizer comigo. E está tudo bem 🙂 É a nossa maneira, e até a considero mais interessante e activa 🙂
Esta corresponde à 1a parte da Lição de 3 Tempos, a apresentação à criança dos conceitos de vocabulário que prrtendemos que ela adquira.

De um modo muito natural, enquanto ele repetia os nomes pequeno-médio-grande (2a parte da Lição de 3 Tempos), ia empurrando os objectos que assumia com idênticas características.

A 3a parte da Lição de 3 Tempos é pedir à criança que nos dê o objecto que pretencemos, usando o seu nome. Neste caso, ele quis apenas apontar, então eu pedia: “Diz qual é o cubo pequeno!”; “Qual é o médio destas bonecas?”; “Qual é o grande destes cilindros?” (ele ainda não sabe o nome dos sólidos geométricos, mas é sempre recomendado em Montessori que se utilize os nomes correctos dos objectos).
Extensão da Actividade:
Ao vê-lo tão entusiasmado com esta esta actividade, fui buscar o cesto dos animais e continuamos a explorar estes conceitos:

Entretanto, ele foi buscar o arco-íris e a partir daí deixei-o brincar e explorar sozinho, é mt importante observá-los e perceber quando já estão cansados. De nada vale a pena forçar aprendizagens, que acabam por ter um efeito contra-producente. Se a criança já só quer brincar com os animais, deixem-na 🙂 Vão ficar surpreendidos com o facto de como eles vão saber repetir muito bem o que aprenderam nos dias seguintes, e muitas vezes quando menos esperamos! 😉

Leave a Comment